Senhora da Justiça

Parece que se nubla o Sol quando ela chega...

Pode chegar de mansinho, em demorados ensaios, ou chega de modo abrupto, como um felino que salta sobre uma presa. Num ou noutro caso, jamais é bem-vinda.

Pode ser que ela chegue anunciando renovações, liberdade e crescimentos, contudo, na base dessas bênçãos, há sempre amarguras, dor e saudade.

Servidora de Deus em favor da Grande Vida, costuma ser rejeitada, abominada mesmo, e considerada como poderosa e intransigente inimiga, tudo por causa do pouco entendimento quanto a sua grave quão divina missão.

Parece que neve regelante se abate sobre todas as coisas, quando ela se apresenta...

Responsável por larga faixa do progresso do mundo e senhora da impoluta justiça, uma vez que não privilegia condições econômicas, culturais ou sociais, nem se curva a faixas etárias ou a vinculações, quaisquer que sejam, quão poucos já conseguem ter paz perante seus sinais, e pouquíssimos já podem expressar alegrias diante do seu anúncio.

O que lhe confere foros de verdade e caráter de permanência na vida humana é o fato de representar as leis divinas, e as leis de Deus visam sempre ao bem de todas as almas, filhas do Seu amor.

Se tu conheces a Jesus e admites a perfeição da vontade do nosso Criador, segue aprendendo, ainda que aos poucos, a respeitar esse ser, cuja presença tanto assusta e incomoda, desde tempos imemoriais.

Não necessitas prestar-lhe qualquer culto; nem precisas temê-la. Basta que vivas nobremente no mundo, e que ensines aos teus a fazer o mesmo, porque, seja mansamente, como a luz do dia que dilui as sombras da noite, ou rápida e violenta, como o salto de um felino, a morte a todos envolverá com seu véu de narcotizantes essências, a todos transladando dos campos do passageiro aprendizado terrestre, para o Grande Lar da vida imperecível, no seio das estrelas.

Todas as suposições e todos os enganos se desfazem, quando, após superarmos duras pelejas e cumprirmos nossos deveres, saímos do mundo das sensações enganosas e mergulhamos no oceano de realidades que o amortecimento do corpo carnal permite ao Espírito imortal.




Rosângela C. Lima
Mensagem psicografada por Raul Teixeira, em 17.7.2006, na Sociedade Espírita Fraternidade, em Niterói-RJ.

Envie seu cartão

De:

Para:

© Federação Espírita do Paraná - 20/11/2014